a noite começava-se a alongar. em vez de se ir deitar, levantou-se do sofá para mais um ataque à cozinha.
uma desculpa (parva) - energia para trabalhar, oh e que trabalho estava a fazer.
zapping entre programas de televisão inúteis enquanto adiava um trabalho aborrecido, vagueava pelas redes socais sem parar muito tempo em cada lado...

(é hoje que ela regressa.)
e em vão espera. espera por uma palavra que não chega.
(mas eu não espero nada).
espera sim, e em vão tenta não desesperar.

é inveja. (mas sentir inveja é mau)
é solidão. (a solidão por vezes grita no silêncio ensurdecedor).

é começar a sentir-se inadequada, inapropriada, desajustada.
mas ao mesmo tempo não querer adequar-se, ser apropriada e ajustar-se.

e pensar que tudo consegue e na cegueira pouco conquistar.
e passar noites em claro a pensar, ou evitar pensar.
é fugir para a fantasia sempre que algum sentimento mais forte se sobreponha.

é esquecer o mundo, porque ele nunca se lembra dela.

Sem comentários:

Enviar um comentário